Curso Psicanálise 2024 (jbs) – Instituto Brasileiro de Terapias Holísticas
Quem é Sigmund Freud e qual sua importância para a psicanálise?

Curso Psicanálise 2024 (jbs)

5/5 - (2 votes)

Loading

Matricule-se Curso de Formação Psicanálise Clínica

Quem é Sigmund Freud e qual sua importância para a <a href=psicanálise?” class=”wp-image-17449″ style=”aspect-ratio:1.7504273504273504;width:478px;height:auto”/>

“Depois de tantos anos deixamos de viver na casa e passamos a ser a casa onde vivemos…

eh como se as paredes nos revestissem a alma” (Mia Couto).

graph TD A[Psicanálise] B[História] –>|Sigmund Freud| C[Freud: Fundador da Psicanálise] B –>|Outros Contribuidores| D[Carl Jung, Melanie Klein, Jacques Lacan] A –>|Conceitos-chave| E[Conceitos] E –>|Inconsciente| F[Inconsciente: Parte da mente não acessível à consciência] E –>|Sonhos| G[Sonhos: Via para o inconsciente] E –>|Complexo de Édipo| H[Complexo de Édipo: Desejos infantis e rivalidades] A –>|Objetivos| I[Objetivos da Psicanálise] I –>|Compreensão de Comportamentos| J[Entender por que agimos como agimos] I –>|Tratamento de Desordens Mentais| K[Tratar ansiedade, depressão, etc.] A –>|Técnicas| L[Técnicas Psicanalíticas] L –>|Associação Livre| M[Expressar pensamentos livremente] L –>|Interpretação de Sonhos| N[Analisar sonhos para entender o inconsciente] L –>|Análise de Transferência| O[Relação paciente-terapeuta] A –>|Críticas e Desafios| P[Críticas] P –>|Validade Científica| Q[Questionamentos sobre a cientificidade] P –>|Longa Duração e Custo| R[Tratamentos prolongados e dispendiosos] A –>|Influência Cultural| S[Impacto na Arte, Literatura e Cinema]

Apresentação da proposta do Curso

“Quando você muda a forma como observa as coisas…

as coisas que você observa, mudam (Max Planck).

Apresentação da filosofia educacional ibrath

Mestre não é sempre quem ensina, mas quem de repente aprende” (Guimarães Rosa).

Colunas  do curso: análise pessoal – teoria e supervisão

“‘Na empatia, mora o   entusiasmo   apaixonante do espírito, 

 que  me reflete,  me habita e me faz existir,

 no outro” (João Barros).

Eixos estruturantes

  • Primeira etapa: teoria psicanalítica – perspectiva de Freud
  • Segunda etapa: teoria + supervisão/clínica
  • Terceira etapa: teoria + supervisão/clínica + revisão de fundamentos e conceitos básicos
  • Quarta etapa: TCC + formação profissional + código de ética

Recursos pedagógicos 

  • MÓDULO MATRIZ/ Visão Geral  (Psicanálise) (MBVG)
  • Quatro módulos temáticos (conteúdo digital)
  • Vídeos-aula (conceitos/fundamentos)

Recursos/aprofundamento/complementação

  • Apostila de 500 páginas (pesquisa)
  • Pacote de 200 exercícios (aprendizagem/reforço)
  • Filmes e leituras (100 indicações) (fixar/conteúdos)
  • BLOG/ibrath – Psicanálise (1000 artigos) (literatura)

Recursos/verificação da aprendizagem

  • Provas modulares básicas
  • TCC (15 folhas/dissertação)
  • LIVES – supervisão em prática clínica

Psicologia da educação/aprendizagem

  • Objetivos de aprendizagem
  • Diferentes métodos de ensino
  • Aprendizagem ativa
  • Recursos didáticos adequados
  • Pensamento crítico
  • Avaliação formativa
  • Autoaprendizagem/incentivos

Temáticas de contextualização/cenário atual

Elementos básicos da teoria psicanalítica em Freud

Temáticas complementares

Terapias analíticas  especiais

Mercado – Prestação de Serviço

  • Clínicas
  • Hospitais
  • Recursos Humanos
  • Consultoria Empresas
  • Docência em Cursos Livres
  • Atuação em ONGS
  • Institutos Sociais
  • Coaching

Conclusão

A mente humana é uma sinfonia de pensamentos… cada nota, uma emoção – desejos e traumas se entrelaçam como em sinfonias, em acordes silenciosos que moldam nossa personalidade. As memórias são sinfonias antigas e só se transformam em bela sinfonia quando ressignificam os primeiros movimentos da vida – mistérios da alma.

Assim, numa sinfonia de sonhos, as notas desafinadas fazem sentido. É preciso harmonizar a nossa melodia. Viva à psicanálise – o ritmo e o compasso da vida – dependem de nossa “singularidade”.

A frase de Mia Couto, “Depois de tantos anos, deixamos de morar na casa e passamos a ser a casa onde moramos… é como se as paredes nos revestissem a alma,” oferece um terreno fértil para uma reflexão profunda sob a ótica da psicanálise. Aqui está uma análise estruturada baseada nesse pensamento:

A casa é uma poderosa metáfora para o self (percepção de si e da realidade pela própria pessoa). Inicialmente, habitamos espaços externos que nos proporcionam segurança e identidade. Com o tempo, internalizamos esses espaços, e eles se tornam parte integrante de quem somos.

A frase enfatiza uma transformação ao longo do tempo, indicando um processo de maturação e introspecção.

A psicanálise frequentemente explora como internalizamos nossas experiências e o ambiente ao nosso redor. Mia Couto sugere que, ao longo do tempo, a casa que habitamos se torna parte de nossa identidade interna.

A ideia de que as paredes revestem nossa alma sugere uma profunda conexão entre o ambiente externo e nosso mundo interno, destacando como nossas experiências moldam quem somos em um nível muito íntimo.

A frase pode ser interpretada à luz do processo de individuação em psicanálise, onde o indivíduo busca integrar diferentes partes de si mesmo para formar um self coeso.

Esse processo também envolve aprender a viver de acordo com os próprios termos, encontrando uma “casa” dentro de si mesmo, um espaço de aceitação e autenticidade.

Nossas experiências de vida, incluindo as casas em que moramos e os ambientes que habitamos, desempenham um papel crucial na formação de nossa identidade.

A psicanálise busca ajudar os indivíduos a integrar suas experiências, até mesmo aquelas que são dolorosas ou conflitantes, para construir uma compreensão mais completa de si mesmos.

A metáfora da casa também pode ser vista como um chamado para encontrar força e resiliência dentro de si mesmo, aprendendo a ser a própria fonte de segurança e estabilidade.

O trabalho terapêutico pode auxiliar nesse processo, ajudando os indivíduos a construírem suas “paredes internas” de uma maneira que sustente e nutra sua alma.

A frase de Mia Couto ressoa com os princípios psicanalíticos de autoconhecimento, integração e a busca por um senso interno de casa e segurança.

Ela enfatiza a capacidade de transformação pessoal e a importância de construir um espaço interno de aceitação e compreensão.

João Barros

João Barros - empresário/escritor - professor com formação em filosofia/pedagogia, teologia/psicanálise (...) atualmente, diretor pedagógico na empresa SELO BE IBRATH - com foco na supervisão e qualificação dos produtos pedagógicos e cursos livres em saúde, qualidade de vida e bem-estar. Quanto às crenças e valores, vale a máxima: o caráter do profissional em saúde - isto é - dos psicanalistas/terapeutas - determina sua missão. "Mens sana in corpore sano".