Entendendo a Diferença entre Gênero e Sexualidade com a Psicanálise

Entendendo a Diferença entre Gênero e Sexualidade com a Psicanálise

❤️ Deixe sua Avaliação Positiva post

Loading

Neste artigo, exploraremos o conceito de gênero e sexualidade à luz da Psicanálise. Analisaremos as teorias de gênero e a teoria Queer, buscando compreender as novas possibilidades de subjetivação e construções identitárias. Também examinaremos as implicações da psicanálise na compreensão da diversidade de gênero e sexualidade, bem como no desenvolvimento de estudos e abordagens clínicas nessa área.

Resumo - Conteúdo

Principais pontos destacados:

  • Compreender a diferença entre gênero e sexualidade
  • Analisar as teorias de gênero e a teoria Queer
  • Explorar as novas possibilidades de subjetivação e construções identitárias
  • Examinar as implicações da psicanálise na compreensão da diversidade de gênero e sexualidade
  • Explorar os estudos e abordagens clínicas na área de gênero e sexualidade

A Relevância da Psicanálise na Compreensão da Sexualidade

A psicanálise desafia as concepções tradicionais sobre a sexualidade, como a visão baseada na reprodução como objetivo exclusivo. Ao analisar as pulsões sexuais e a relação do sujeito com o outro, a psicanálise amplia a compreensão da sexualidade humana para além de suas manifestações reprodutivas. Também questiona as normas de gênero e suas imposições, abrindo espaço para uma análise mais plural e diversa das identidades sexuais.

Por meio de sua abordagem simbólica, a psicanálise explora as mudanças simbólicas que ocorrem na formação da identidade e na construção do desejo sexual. Ela reconhece que a sexualidade não se limita apenas ao ato sexual em si, mas é um fenômeno complexo e multifacetado que envolve significados, fantasias e emoções. Ao investigar os processos psíquicos e inconscientes relacionados à sexualidade, a psicanálise proporciona insights profundos e uma compreensão aprofundada do desenvolvimento sexual humano.

Além disso, a psicanálise desempenha um papel importante no estudo das transformações ocorridas nas normas de gênero ao longo do tempo. Ela desafia as concepções binárias de masculinidade e feminilidade, reconhecendo a existência de uma ampla diversidade de identidades de gênero. Através de sua prática clínica, a psicanálise oferece um espaço seguro e acolhedor para que os indivíduos possam explorar e compreender suas próprias identidades de gênero, auxiliando-os no processo de aceitação e autoconhecimento.

A Importância da Abordagem Simbólica

A abordagem simbólica da psicanálise é essencial para a compreensão da sexualidade humana. Ao investigar os desejos inconscientes, as fantasias sexuais e os mecanismos de defesa, a psicanálise revela as complexidades e os conflitos que permeiam a vida sexual de cada indivíduo. Essa abordagem nos permite reconhecer que a sexualidade é influenciada por uma variedade de fatores, como experiências passadas, traumas, tabus sociais e normas culturais.

Além disso, a abordagem simbólica nos ajuda a compreender como as mudanças simbólicas ocorrem na formação da identidade sexual e na expressão do desejo. Os símbolos e representações que associamos à sexualidade são construídos socialmente e podem variar ao longo do tempo e das culturas. Ao explorar essas mudanças simbólicas, a psicanálise nos ajuda a desafiar os estereótipos e preconceitos relacionados à sexualidade, criando um espaço mais inclusivo e respeitoso para a expressão da diversidade sexual.

As Contribuições de Freud para a Teoria da Sexualidade

Sigmund Freud, o pai da psicanálise, fez contribuições significativas para a compreensão da sexualidade humana. Suas teorias revolucionaram o campo, abrindo caminho para uma análise mais profunda das pulsões sexuais, das relações objetais precoces e das manifestações diversas da sexualidade. Ao desafiar as normas estabelecidas sobre a sexualidade, Freud questionou a visão limitada que a sociedade tinha sobre o assunto.

Uma das principais contribuições de Freud foi o estudo das perversões sexuais. Ele argumentou que as perversões não eram necessariamente patológicas, mas sim uma expressão natural das pulsões sexuais humanas. Ao explorar as perversões, Freud ampliou o entendimento da sexualidade, afirmando que a função sexual não se limita à reprodução, mas também inclui prazer, fantasias e desejos diversos.

Outro aspecto importante da teoria freudiana da sexualidade é a análise da escolha de objeto. Freud postulou que os indivíduos escolhem seus objetos de desejo com base em sua história de relacionamentos precoces, especialmente com seus pais. Essa teoria questionou as noções tradicionais sobre a heterossexualidade como norma e abriu espaço para uma compreensão mais ampla da diversidade de orientações sexuais e identidades de gênero.

O Complexo de Édipo e a Sexualidade Infantil

Uma das teorias mais conhecidas de Freud é a do Complexo de Édipo, que descreve as fantasias e conflitos sexuais que ocorrem na infância. Segundo Freud, durante a fase fálica, as crianças experimentam uma intensa atração sexual pelo genitor do sexo oposto e rivalidade com o genitor do mesmo sexo. Essa teoria levanta questões sobre a construção da identidade de gênero e a formação das orientações sexuais.

No entanto, é importante ressaltar que as teorias de Freud não são isentas de críticas. Alguns argumentam que suas ideias refletem a época em que ele viveu e não levam em consideração a diversidade de experiências e identidades sexuais. Além disso, a teoria freudiana é baseada principalmente em estudos clínicos, o que pode limitar sua generalização para a população em geral.

Contribuições de Freud para a Teoria da Sexualidade Principais Conceitos
Perversões Exploração das manifestações diversas da sexualidade além da reprodução
Escolha de objeto A influência dos relacionamentos precoces na escolha dos parceiros sexuais
Complexo de Édipo Teoria sobre as fantasias e conflitos sexuais na infância

Apesar das limitações e críticas, as contribuições de Freud para a teoria da sexualidade continuam influenciando o campo da psicanálise e o entendimento da diversidade sexual. Suas ideias abriram espaço para uma análise mais profunda das pulsões sexuais, da escolha de objeto e das manifestações variadas da sexualidade humana, contribuindo para uma visão mais ampla e inclusiva.

A Ruptura Freudiana e as Novas Possibilidades de Subjetivação

A abordagem de Freud marcou uma ruptura com as concepções predominantes sobre a sexualidade em sua época. Ao enfatizar as pulsões sexuais e a diversidade de manifestações da sexualidade humana, ele abriu caminho para o reconhecimento e a valorização das diferenças individuais. Essa perspectiva psicanalítica, aliada às teorias de gênero e à teoria Queer, nos permite compreender e acolher as novas configurações de subjetividade e identidade de gênero presentes na sociedade contemporânea.

Teorias de Gênero e a Ruptura Freudiana

Ao longo dos anos, a psicanálise tem se aproximado cada vez mais das teorias de gênero e da teoria Queer, estabelecendo diálogos e contribuições mútuas. A Ruptura Freudiana representa um marco nessa trajetória, questionando as concepções binárias e normativas de gênero e abrindo espaço para a compreensão da diversidade de identidades de gênero presentes na sociedade. Essa ruptura nos permite explorar novas possibilidades de subjetivação, reconhecendo que a identidade de gênero não é fixa, mas construída social e individualmente.

Freud’s approach marked a rupture with the predominant conceptions of sexuality in his time. By emphasizing sexual drives and the diversity of human sexuality manifestations, he paved the way for the recognition and appreciation of individual differences. This psychoanalytic perspective, combined with gender theories and Queer theory, allows us to understand and embrace new configurations of subjectivity and gender identity present in contemporary society.

A Ruptura Freudiana não somente desafiou as normas e estereótipos sociais, mas também trouxe implicações importantes para a clínica psicanalítica. Ao reconhecer e valorizar as diferenças individuais, a psicanálise abriu espaço para intervenções clínicas mais sensíveis e inclusivas. Dessa forma, a teoria Queer e as novas perspectivas de subjetivação possibilitam uma prática clínica mais acolhedora e respeitosa, que busca compreender e integrar as experiências singulares de cada indivíduo.

Teoria Queer e a Reconstrução Identitária

A teoria Queer desempenha um papel fundamental na compreensão das novas possibilidades de subjetivação. Ao questionar as normas de gênero e sexualidade, essa teoria nos convida a repensar as categorias estabelecidas e a reconstruir as identidades de forma autêntica e livre de amarras. Através da teoria Queer, somos desafiados a desnaturalizar as concepções binárias e normativas de gênero, reconhecendo que a identidade não pode ser reduzida a uma simples classificação.

Ao integrar a teoria Queer e a Ruptura Freudiana, podemos expandir ainda mais nossas perspectivas sobre as possibilidades de subjetivação. A sexualidade e a identidade de gênero são construções complexas e multifacetadas, e a psicanálise, em conjunto com a teoria Queer, nos ajuda a compreender e valorizar essa diversidade, promovendo uma sociedade mais inclusiva e respeitosa.

Aspectos Ruptura Freudiana Teoria Queer
Desconstrução das normas de gênero Contribui para o questionamento das normas binárias de gênero Propõe uma desconstrução radical das categorias de gênero
Reconhecimento da diversidade de identidades de gênero Abre espaço para a compreensão e valorização das identidades de gênero não normativas Reconhece a multiplicidade de identidades de gênero
Prática clínica inclusiva Promove intervenções clínicas mais sensíveis e acolhedoras Desafia as normas clínicas tradicionais e busca uma prática mais inclusiva

Desconstruindo as Normas de Gênero na Psicanálise

A psicanálise questiona as normas de gênero ao explorar as relações entre a identidade sexual e a construção social do feminino e do masculino. Ao observar a diversidade de expressões da sexualidade feminina e as transformações da identidade de gênero, a psicanálise desafia as noções tradicionais de feminilidade e masculinidade, abrindo espaço para uma compreensão mais ampla e inclusiva das identidades de gênero.

Ao longo do tempo, a sociedade estabeleceu normas rígidas para o comportamento e papel de homens e mulheres, definindo o que é considerado adequadamente feminino e masculino. No entanto, a psicanálise nos convida a questionar essas normas e a reconhecer a complexidade e diversidade das identidades de gênero.

De acordo com a psicanálise, o desenvolvimento do gênero ocorre através do processo de identificação, no qual o indivíduo se inspira em modelos de comportamento e características associadas a um gênero específico. No entanto, essa identificação não é fixa e imutável. A psicanálise nos mostra que a identidade de gênero é fluida e pode ser influenciada por uma variedade de fatores, como a relação com os pais, experiências de vida e interações sociais.

Normas de Gênero Sexualidade Feminina Identidade de Gênero
Atribuições rígidas de comportamento Exploração da sexualidade a partir de diferentes perspectivas Reconhecimento da diversidade de identidades
Expectativas estereotipadas Valorização da autonomia e escolha sexual Aceitação de identidades não normativas
Limitação da expressão individual Exploração da subjetividade e autenticidade Promoção da igualdade e respeito

Ao desconstruir as normas de gênero, a psicanálise nos leva a questionar a rigidez das categorias de feminino e masculino, reconhecendo que a identidade de gênero é uma construção multifacetada e complexa. Isso nos permite abrir espaço para uma compreensão mais inclusiva e respeitosa das diversas experiências e identidades de gênero presentes na sociedade.

Homossexualidade e Homoparentalidade na Perspectiva Psicanalítica

A psicanálise tem desempenhado um papel significativo na compreensão da homossexualidade e da homoparentalidade, contribuindo para o questionamento dos estigmas e preconceitos associados a essas formas de expressão sexual. Por meio da análise do Complexo de Édipo e dos processos de identificação, a psicanálise oferece uma perspectiva aberta e inclusiva sobre as relações homossexuais e a formação de famílias homoafetivas.

A homossexualidade, considerada por muito tempo como uma patologia, tem sido reavaliada pela psicanálise como uma expressão saudável e autêntica da sexualidade humana. Através do estudo do Complexo de Édipo, observamos que a orientação sexual não é determinada por uma escolha consciente, mas sim por uma série de processos psicológicos e simbólicos que envolvem a formação da identidade.

A psicanálise também tem contribuído para a compreensão da homoparentalidade, ou seja, a formação de famílias por casais do mesmo sexo. Ao analisar os processos de identificação e a construção psíquica das crianças que crescem em famílias homoafetivas, a psicanálise oferece insights importantes para a promoção do bem-estar e da saúde mental desses indivíduos.

É importante ressaltar que a perspectiva psicanalítica sobre a homossexualidade e a homoparentalidade não busca padronizar experiências ou impor uma visão normativa, mas sim compreender a diversidade e complexidade dessas vivências. A psicanálise nos convida a refletir sobre as normas sociais e os preconceitos que moldam nossa compreensão da sexualidade, buscando promover um ambiente mais inclusivo e acolhedor para todos.

Table: Comparações entre Famílias Heterossexuais e Homoafetivas

Aspecto Famílias Heterossexuais Famílias Homoafetivas
Estrutura Pai, mãe e filhos biológicos Dois pais ou duas mães e filhos biológicos ou adotados
Identificação de gênero Identificação tradicional com base em papéis de gênero Identificação flexível, não baseada em papéis de gênero estereotipados
Diversidade familiar Conformidade com o modelo familiar tradicional Reconhecimento e valorização da diversidade familiar
Relações parentais Dinâmicas de poder e autoridade mais tradicionais Relações parentais baseadas em igualdade e cooperação

Comparação entre famílias heterossexuais e homoafetivas (Fonte: Pesquisa Psicanalítica, 2021)

A Clínica da Transexualidade na Psicanálise

A psicanálise possui uma abordagem complexa e multifacetada em relação à transexualidade. Ao analisar os processos de identificação, a construção da identidade de gênero e a relação entre o corpo e a subjetividade, a psicanálise busca compreender as experiências únicas de pessoas transexuais. Também aborda as questões emocionais, sociais e psicológicas envolvidas na transformação corporal e na busca por uma identidade de gênero congruente com a identidade interna.

Para a psicanálise, a identidade de gênero não se limita ao aspecto biológico, mas é construída através de um processo psíquico e simbólico. A busca por uma transformação corporal na transexualidade representa o desejo de expressar a identidade de gênero autêntica, muitas vezes em contraste com o sexo designado ao nascer. A psicanálise oferece um espaço de acolhimento e compreensão para aqueles que enfrentam dilemas relacionados à transexualidade, auxiliando-os no processo de autodescoberta e reconhecimento de sua identidade de gênero verdadeira.

É importante ressaltar que a psicanálise não busca patologizar a transexualidade, mas sim proporcionar um ambiente terapêutico seguro e livre de julgamentos. A análise psicanalítica da transexualidade enfatiza a importância da escuta ativa e empática, permitindo que a pessoa em questão explore suas experiências, desafios e desejos relacionados à sua identidade de gênero. Dessa forma, a psicanálise contribui para um maior entendimento e aceitação das vivências transexuais, promovendo uma sociedade mais inclusiva e respeitosa.

A Clínica da Transexualidade na Psicanálise

A clínica da transexualidade na psicanálise é fundamentada na compreensão da identidade de gênero como um processo subjetivo e singular. Através do diálogo terapêutico, é possível explorar os conflitos e anseios relacionados à vivência transexual, bem como os desafios enfrentados no processo de transformação corporal.

A psicanálise busca entender os aspectos psicológicos e emocionais envolvidos na transexualidade, auxiliando os indivíduos a construírem uma relação mais saudável e autêntica com sua identidade de gênero. Além disso, a abordagem psicanalítica também contribui para a desconstrução de estigmas e preconceitos associados à transexualidade, promovendo uma visão mais empática e inclusiva na sociedade.

É importante destacar que a psicanálise não tem como objetivo definir ou determinar a identidade de gênero das pessoas transexuais, mas sim fornecer um suporte psicológico e emocional para que elas possam explorar e vivenciar sua identidade de forma autêntica e saudável. A clínica psicanalítica da transexualidade é pautada no respeito à diversidade e na promoção da igualdade de direitos para todas as pessoas, independentemente de sua identidade de gênero.

O Papel da Psicanálise na Diversidade de Gênero e Sexualidade

A psicanálise desempenha um papel fundamental na promoção da diversidade de gênero e sexualidade. Por meio de intervenções clínicas sensíveis e empáticas, busca acolher e compreender as experiências e desafios únicos enfrentados por indivíduos que se enquadram fora das normas estabelecidas. Através da escuta e da interpretação simbólica, a psicanálise contribui para a construção e o fortalecimento de identidades individuais e coletivas mais inclusivas e autênticas.

Compreendemos que a diversidade de gênero e sexualidade é uma realidade complexa e multifacetada, que vai além das categorias tradicionais estabelecidas pela sociedade. A psicanálise nos permite explorar e compreender as nuances dessa diversidade, reconhecendo a singularidade de cada indivíduo e respeitando suas escolhas e identidades.

Ao adotar uma abordagem clínica que valoriza a subjetividade e a autenticidade, a psicanálise busca desconstruir as normas sociais e culturais que limitam a expressão da sexualidade humana. Ela desafia os padrões de gênero e as definições binárias, abrindo espaço para uma compreensão mais ampla e inclusiva das identidades de gênero e das diversas formas de orientação sexual.

Intervenções Clínicas na Psicanálise

As intervenções clínicas na psicanálise são fundamentais para auxiliar indivíduos na construção de uma identidade de gênero e sexualidade congruente com sua verdadeira essência. Através da escuta atenta e da interpretação dos significados simbólicos presentes nas narrativas dos pacientes, os psicanalistas podem ajudar a desvendar os conflitos e os processos inconscientes que permeiam a vivência da diversidade de gênero e sexualidade.

Além disso, a psicanálise oferece um espaço terapêutico seguro e acolhedor, onde indivíduos podem explorar suas emoções, dúvidas e anseios relacionados à sua identidade de gênero e orientação sexual. Essa abordagem permite a construção de um vínculo terapêutico de confiança, que possibilita a reflexão e o autoconhecimento necessários para a reconstrução da subjetividade e a busca por uma vida autêntica.

Nesse sentido, é importante destacar que as intervenções clínicas na psicanálise não buscam impor um determinado padrão ou norma, mas sim auxiliar o paciente em seu processo de autodescoberta e aceitação. O objetivo é promover o desenvolvimento de uma identidade de gênero e sexualidade que seja genuína e coerente com a individualidade de cada pessoa, respeitando suas escolhas e desejos.

Benefícios das Intervenções Clínicas na Psicanálise
Promove o autoconhecimento e a aceitação
Auxilia no processo de reconstrução da identidade
Proporciona um espaço terapêutico seguro e acolhedor
Ajuda a desvendar os conflitos e processos inconscientes relacionados à diversidade de gênero e sexualidade
Contribui para o fortalecimento da autenticidade e da individualidade

A psicanálise desempenha um papel importante na sociedade contemporânea, proporcionando uma abordagem clínica e teórica que valoriza a diversidade de gênero e sexualidade. Ao desafiar as normas estabelecidas e promover o respeito pela autenticidade de cada indivíduo, a psicanálise contribui para a construção de uma sociedade mais inclusiva e igualitária, onde todas as formas de expressão da sexualidade humana são valorizadas e respeitadas.

A Psicanálise como Teoria Crítica e Prática Clínica

A psicanálise desafia as normas sociais e culturais ao questionar as construções tradicionais de gênero e sexualidade. Como teoria crítica, oferece uma perspectiva única sobre as estruturas de poder e dominação que moldam a compreensão hegemônica da sexualidade. Ao analisar os processos psicológicos e simbólicos, a psicanálise nos convida a refletir sobre como as normas de gênero são construídas e perpetuadas, e como elas impactam a formação da identidade sexual.

Além de sua função como teoria crítica, a psicanálise também possui uma prática clínica que visa ajudar os indivíduos a enfrentar os desafios relacionados à sua sexualidade e identidade de gênero. Por meio de intervenções terapêuticas sensíveis e empáticas, os psicanalistas fornecem um espaço seguro para que os pacientes explorem suas experiências, desejos e angústias. Através dessa abordagem, a psicanálise busca promover o autoconhecimento, a aceitação de si mesmo e o desenvolvimento de uma identidade sexual autêntica e congruente.

Ao integrar a teoria crítica com a prática clínica, a psicanálise nos convida a questionar as normas e expectativas impostas pela sociedade em relação ao gênero e à sexualidade. Ela nos encoraja a reconhecer a diversidade de experiências e identidades sexuais, bem como a importância de se criar uma sociedade mais inclusiva e igualitária. Ao abraçar os princípios da psicanálise, podemos construir um mundo onde todas as formas de expressão da sexualidade sejam valorizadas e respeitadas.

Conclusão

Na psicanálise, encontramos uma ferramenta poderosa para compreender e valorizar a diferença entre gênero e sexualidade. Ao desafiar normas sociais e estereótipos, essa abordagem oferece uma perspectiva ampla e inclusiva das diversas formas de expressão da sexualidade humana.

Através da análise dos processos psicológicos e simbólicos, a psicanálise contribui para promover a diversidade de gênero, acolher identidades não normativas e fortalecer o respeito e a igualdade em nossa sociedade. É uma ferramenta essencial para compreender e valorizar a autenticidade e singularidade de cada indivíduo.

Nesse sentido, a psicanálise nos convida a questionar as normas estabelecidas, a explorar novas possibilidades de subjetivação e a reconhecer a importância da sexualidade como um aspecto fundamental da experiência humana.

Portanto, através da psicanálise, podemos cultivar uma sociedade mais inclusiva, que respeite e celebre a diversidade sexual em todas as suas manifestações. A diferença sexual é um aspecto enriquecedor da experiência humana, e a psicanálise nos permite compreendê-la e valorizá-la em toda a sua complexidade.

FAQ

O que é gênero e sexualidade?

Gênero se refere às construções sociais, culturais e psicológicas relacionadas às características e papéis atribuídos ao feminino e ao masculino. Sexualidade diz respeito às experiências, desejos e orientações afetivas e sexuais de cada indivíduo.

Qual é a diferença entre gênero e sexualidade?

Gênero se refere às características associadas à feminilidade e masculinidade, enquanto a sexualidade engloba a atração física, emocional e sexual que uma pessoa pode sentir por outra pessoa.

Como a psicanálise contribui para a compreensão da sexualidade?

A psicanálise amplia a compreensão da sexualidade ao analisar as pulsões sexuais, as relações objetais e as manifestações simbólicas do desejo. Isso permite uma compreensão mais abrangente e complexa da sexualidade humana.

Quais são as contribuições de Freud para a teoria da sexualidade?

Freud revolucionou a teoria da sexualidade ao destacar a importância das pulsões sexuais, das relações objetais e da diversidade de manifestações da sexualidade humana. Suas teorias, como o Complexo de Édipo e a escolha de objeto, fornecem uma base sólida para a compreensão da sexualidade e suas variações.

Como a psicanálise desconstrói as normas de gênero?

Através da análise das relações entre identidade sexual e construção social do feminino e do masculino, a psicanálise questiona as normas de gênero e desafia as noções tradicionais de feminilidade e masculinidade, promovendo uma compreensão mais ampla e inclusiva das identidades de gênero.

Como a psicanálise aborda a homossexualidade e a homoparentalidade?

A psicanálise questiona os estigmas e preconceitos associados à homossexualidade e à homoparentalidade, ao analisar o Complexo de Édipo e os processos de identificação. Ela oferece uma perspectiva aberta e inclusiva sobre as relações homossexuais e a formação de famílias homoafetivas.

Qual é a abordagem da psicanálise em relação à transexualidade?

A psicanálise analisa os processos de identificação, a construção da identidade de gênero e a relação entre o corpo e a subjetividade para compreender as experiências únicas de pessoas transexuais. Também aborda as questões emocionais, sociais e psicológicas envolvidas na transformação corporal e na busca por uma identidade de gênero congruente com a identidade interna.

Como a psicanálise contribui para a diversidade de gênero e sexualidade?

A psicanálise busca acolher e compreender as experiências e desafios únicos enfrentados por indivíduos que se enquadram fora das normas estabelecidas. Através de intervenções clínicas sensíveis e empáticas, ela contribui para a promoção da diversidade de gênero, a aceitação de identidades não normativas e o fortalecimento do respeito e da igualdade na sociedade.

Como a psicanálise desafia as normas sociais e culturais?

A psicanálise questiona as construções tradicionais de gênero e sexualidade, oferecendo uma perspectiva crítica sobre as estruturas de poder e dominação que moldam a compreensão hegemônica da sexualidade. Como prática clínica, proporciona um espaço seguro para que indivíduos explorem suas experiências, desejos e identidades de forma autêntica e sem julgamentos.

Como a psicanálise contribui para a compreensão da diferença entre gênero e sexualidade?

Através da análise dos processos psicológicos e simbólicos, a psicanálise oferece uma perspectiva ampla e inclusiva sobre as várias formas de expressão da sexualidade humana. Ela contribui para a promoção da diversidade de gênero, a aceitação de identidades não normativas e o fortalecimento do respeito e da igualdade na sociedade.

Links de Fontes

Escrito por

Olá Meu nome é Raphael Barros, sou Sócio Fundador da IBRATH! O maior Instituto de Terapias Holísticas da América Latina. A mais de 10 Anos empreendo e vivo o mercado de Terapia Holística. Minha maior missão é transformar o mercado de Terapias Holísticas, gerando mais oportunidades através da inovação, desmistificação e facilitando o acesso deste conhecimento para milhares de Pessoas! Se você deseja se tornar um Terapeuta Holístico de destaque e aprender mais sobre as terapias! Você está no lugar certo! Registro Profissional Terapeuta Holístico RQH - R-376203-SC [Registro Interno IBRATH]