Personalidade estrutura – Instituto Brasileiro de Terapias Holísticas
PERSONALIDADE ESTRUTURA

Personalidade estrutura

❤️ Deixe sua Avaliação Positiva post

Loading

Personalidade estrutura – é como um edifício intrincado com vários andares e salas, construído ao longo de anos de experiências e interações.

PERSONALIDADE ESTRUTURA
PERSONALIDADE ESTRUTURA

EGO

No cerne dessa estrutura, encontramos o desenvolvimento do ego. O ego é o nosso senso consciente de identidade, a parte da mente que equilibra os impulsos básicos e as demandas sociais.

Ele atua como um gerente no epicentro desse vasto edifício, garantindo que tudo esteja em harmonia.

FALHAS

Porém, assim como em qualquer construção, falhas estruturais podem surgir. Em termos de personalidade, essas falhas são manifestadas como neuroses e psicoses. Freud, em 1917, debruçou-se sobre esses conceitos, distinguindo-os fundamentalmente.

NEUROSES

As neuroses são como rachaduras na parede, indicando conflitos não resolvidos que afetam o dia a dia, mas sem romper completamente a estrutura. Já as psicoses são danos mais profundos, onde a distinção entre realidade e fantasia é prejudicada.

NARCISISMO

Navegando pelo nosso edifício metafórico, entramos na sala do narcisismo. Aqui, encontramos um espelho que reflete o nosso amor-próprio. Em 1914, Freud explorou o conceito de narcisismo como um investimento libidinal em nós mesmos.

No entanto, um investimento excessivo pode ser problemático. Uma sala repleta de espelhos pode se tornar um labirinto confuso, simbolizando uma personalidade excessivamente focada em si mesma.

LUTO

À medida que avançamos, deparamo-nos com espaços mais sombrios, onde luto e melancolia residem. Freud, em 1917, detalhou como lidamos com a perda em nossa psique. O luto é uma resposta natural à perda, um processo de cura onde eventualmente encontramos paz.

MELANCOLIA

A melancolia, por outro lado, é como uma sala que permanece escura, simbolizando uma perda não resolvida que afeta profundamente a personalidade.

AGRESSÃO

E no último corredor dessa exploração, confrontamo-nos com a teoria da agressão. A personalidade não é apenas construída de amor e desejo, mas também de conflito. Entre eros (o impulso de vida) e thanatos (o impulso de morte), a agressão se manifesta. Este é o equilíbrio delicado que o ego deve gerenciar: a tensão entre criar e destruir, amar e odiar.

A estrutura da personalidade é um fascinante labirinto de salas e corredores. O ego, neuroses, psicoses, narcisismo, luto, melancolia e agressão são apenas alguns dos muitos componentes que formam o nosso edifício psíquico.

CONCLUSÃO

Cada indivíduo possui uma arquitetura única, moldada por experiências, desejos e conflitos. E, ao entender essa estrutura, ganhamos insights valiosos sobre quem somos, como nos relacionamos com o mundo e como podemos crescer e evoluir como seres humanos.

João Barros

Floripa – 2023

BIBLIOGRAFIA

“Luto e Melancolia” (Trauer und Melancholie) por Sigmund Freud, publicada em 1917.

Em “Luto e Melancolia”, Sigmund Freud investiga os complexos mecanismos psicológicos por trás da experiência humana de perda e luto. Neste texto, o renomado pai da psicanálise” data-wpil-keyword-link=”linked”>psicanálise distingue entre as respostas normais ao luto e o estado patológico da melancolia, que mais tarde seria associado ao que hoje chamamos de depressão clínica.

O luto é apresentado como uma reação natural e esperada à perda de um ente querido ou de algo que possuía valor simbólico para o indivíduo. É um processo pelo qual a pessoa gradualmente desvincula energia emocional (libido) do objeto perdido e a realoca em outros lugares, permitindo que a vida continue.

Em contraste, a melancolia ocorre quando a perda não é totalmente processada. A pessoa afetada pode não saber exatamente o que perdeu, levando a sentimentos de autodepreciação, extrema tristeza e até autodeflagelação. Para Freud, a melancolia é caracterizada por uma perda não reconhecida, onde o ego se identifica com o objeto perdido, levando a um complexo de crítica e autoagressão.

Freud também aborda temas de autoestima, identidade e a relação entre o ego e os objetos amados, proporcionando uma compreensão profunda de como as pessoas processam a perda e o trauma.

“Luto e Melancolia” é uma peça fundamental na literatura psicanalítica, não apenas por suas revelações sobre tristeza e depressão, mas também por seu estudo detalhado sobre a dinâmica do ego e seu papel na regulação das emoções e na formação da identidade.

Como o ego é descrito em relação à estrutura da personalidade?

Resposta: O ego é o nosso senso consciente de identidade e atua como um gerente no epicentro da estrutura da personalidade. Ele é a parte da mente que equilibra os impulsos básicos e as demandas sociais, garantindo que tudo esteja em harmonia.

Quais são as diferenças entre neuroses e psicoses segundo Freud?

Resposta: Freud, em 1917, distinguiu neuroses e psicoses. As neuroses são como rachaduras na parede da personalidade, indicando conflitos não resolvidos que afetam o dia a dia sem romper completamente a estrutura. As psicoses representam danos mais profundos, onde a distinção entre realidade e fantasia é prejudicada.

O que Freud abordou sobre o narcisismo?

Resposta: Em 1914, Freud explorou o conceito de narcisismo como um investimento libidinal em nós mesmos. Ele representa o nosso amor-próprio. No entanto, um investimento excessivo em narcisismo pode ser problemático, simbolizando uma personalidade excessivamente focada em si mesma.

O que Freud abordou sobre o narcisismo?

Resposta: Em 1914, Freud explorou o conceito de narcisismo como um investimento libidinal em nós mesmos. Ele representa o nosso amor-próprio. No entanto, um investimento excessivo em narcisismo pode ser problemático, simbolizando uma personalidade excessivamente focada em si mesma.

Como Freud descreveu o luto e a melancolia?

Resposta: Freud, em 1917, detalhou o luto como uma resposta natural à perda, sendo um processo de cura onde eventualmente encontramos paz. A melancolia, por outro lado, é simbolizada por uma perda não resolvida que afeta profundamente a personalidade, sendo como uma sala que permanece escura

O que representa a teoria da agressão na estrutura da personalidade?

Resposta: A teoria da agressão destaca que a personalidade não é apenas construída de amor e desejo, mas também de conflito. Entre eros (o impulso de vida) e thanatos (o impulso de morte), a agressão se manifesta. O ego deve gerenciar o equilíbrio delicado entre criar e destruir, amar e odiar.

João Barros - empresário/escritor - professor com formação em filosofia/pedagogia, teologia/psicanálise (...) atualmente, diretor pedagógico na empresa SELO BE IBRATH - com foco na supervisão e qualificação dos produtos pedagógicos e cursos livres em saúde, qualidade de vida e bem-estar. Quanto às crenças e valores, vale a máxima: o caráter do profissional em saúde - isto é - dos psicanalistas/terapeutas - determina sua missão. "Mens sana in corpore sano".