Ansiedade-disfunção... (caso n.1) – Instituto Brasileiro de Terapias Holísticas
ANSIEDADE E ESTRESSE

Ansiedade-disfunção… (caso n.1)

5/5 - (1 vote)

Loading

Em um consultório acolhedor, Marcos se senta diante de um psicanalista.

ANSIEDADE E ESTRESSE
ANSIEDADE-disfunção

INTRODUÇÃO

Ele está ali para falar sobre um problema pessoal que tem prejudicado sua qualidade de vida e afetado seu relacionamento: a disfunção erétil.

Sua face denota ansiedade e estresse, emoções que, segundo Sigmund Freud em sua obra “O mal-estar na civilização”, são amplamente exacerbadas pelas restrições e demandas da vida moderna.

FREUD (ansiedade e disfunção)

Freud, o pai da psicanálise” data-wpil-keyword-link=”linked”>psicanálise, explorou profundamente os aspectos inconscientes que regem o comportamento humano.

Ele argumentou que a civilização, por um lado, nos oferece segurança, conhecimento e bem-estar, mas, por outro, nos impõe regras e limitações que podem levar ao sofrimento psíquico.

Essas restrições à liberdade dos instintos humanos, segundo Freud, podem resultar em uma série de desconfortos emocionais, como ansiedade e estresse.

No caso de Marcos, ele descobre, durante as sessões de terapia, que sua disfunção erétil pode ser parcialmente atribuída ao estresse gerado por pressões sociais e profissionais.

Como Freud sugeriu, a cultura em que vivemos molda nossas preocupações internas e, muitas vezes, amplifica nossas tendências ao sofrimento psíquico.

A ansiedade de performance (ansiedade-disfunção)

(…) somada às responsabilidades do trabalho e do relacionamento, tem um impacto direto sobre sua capacidade erétil.

É relevante notar que, para Freud, muitos dos nossos conflitos internos originam-se nos complexos edipianos da infância.

Em muitos casos de disfunção erétil, por exemplo, pode haver uma relação inconsciente com figuras maternas ou paternas que interferem na liberação dos instintos sexuais na vida adulta.

Essa é uma via complexa e individual, mas certamente uma pista a ser explorada na busca de soluções.

Em “O mal-estar na civilização”, Freud também aborda o tema da culpa inconsciente, uma espécie de vigilante interno que reprime os desejos e instintos.

Este “super-eu”

(…) pode ser implacavelmente severo, exacerbando a ansiedade e, por consequência, agravando problemas como a disfunção erétil.

A psicanálise, então, oferece ferramentas terapêuticas para explorar esses labirintos internos.

Uma delas é a interpretação dos sonhos, que pode desvendar ansiedades latentes.

Em um de seus sonhos, Marcos se vê em um palco, completamente exposto ao público, um cenário clássico de vulnerabilidade e julgamento.

Esse sonho ecoa sua ansiedade de performance sexual, uma expressão da tensão entre seus instintos e as restrições sociais.

É igualmente importante sublinhar que a psicanálise não propõe apenas uma exploração introspectiva.

Há também uma consideração de como fatores sociais, incluindo a mídia e normas culturais, contribuem para a patologização da sexualidade.

Essas influências externas agem como amplificadores dos conflitos psíquicos internos.

Portanto, como Freud argumenta, o mal-estar que sentimos é uma interação entre os nossos conflitos internos e os fatores sociais e culturais que nos moldam.

A disfunção erétil

(…) vista sob esse prisma, é um sintoma que vai muito além de uma simples questão fisiológica; ela é um marcador de complexos emocionais e tensões sociais.

O caminho para a resolução dessa problemática passa, então, por um entendimento profundo dos próprios conflitos, medos e ansiedades. É um trajeto que requer coragem para enfrentar tanto os monstros internos quanto os espectros sociais que os alimentam.

O psicanalista, ao longo do tratamento, orienta Marcos no desenvolvimento de uma maior consciência de suas emoções e pensamentos inconscientes.

Através de técnicas como a livre associação e a interpretação de sonhos, eles exploram as raízes de sua disfunção erétil, permitindo que Marcos alcance uma melhor compreensão de si mesmo.

Além disso, é crucial reconhecer que o tratamento psicanalítico é complementar a outros tipos de intervenção, como medicamentos e terapias focadas no corpo.

O tratamento integral envolve um cuidado multidisciplinar, onde a psicanálise oferece um olhar sobre a complexa rede de fatores emocionais e sociais que interferem na questão.

Marcos começa, então, a fazer mudanças significativas em sua vida, não apenas no aspecto sexual, mas também em sua relação com o trabalho e com o seu parceiro.

À medida que ele se torna mais consciente das causas subjacentes de seu estresse e ansiedade, encontra maneiras mais saudáveis de lidar com eles.

O mal-estar na civilização, como Freud tão claramente articulou, é uma constante com a qual todos nós devemos lidar.

Mas é também um ponto de partida para a busca de soluções, tanto individuais quanto coletivas, que podem nos levar a uma vida mais plena e significativa.

Portanto, o relato de Marcos e sua jornada terapêutica ilustram como a psicanálise, embasada na profunda compreensão de Freud sobre o mal-estar humano, oferece ferramentas valiosas para desvendar e tratar questões complexas como a disfunção erétil.

CONCLUSÃO

Aqui, o estresse e a ansiedade não são apenas vilões, mas também pistas que, quando adequadamente exploradas, podem iluminar o caminho para uma vida mais saudável e gratificante.

João Barros

Floripa, 2023

REFERÊNCIA BÁSICA

João Barros - empresário/escritor - professor com formação em filosofia/pedagogia, teologia/psicanálise (...) atualmente, diretor pedagógico na empresa SELO BE IBRATH - com foco na supervisão e qualificação dos produtos pedagógicos e cursos livres em saúde, qualidade de vida e bem-estar. Quanto às crenças e valores, vale a máxima: o caráter do profissional em saúde - isto é - dos psicanalistas/terapeutas - determina sua missão. "Mens sana in corpore sano".

Deixe um comentário